Painel Principal  :  Notícias (Histórico)  :  IPN Incubadora ap...
Notícias - Histórico
 
  Aceleradora  
  Formação   Geral   Incentivos   Incubadora   Notas de Imprensa   Prémios   Transf. Tecnologia e PI  
 
IPN Incubadora apoia projecto do IPC
 
Filipe Reis tomou posse como administrador e dará corpo a projecto de simplificação que a presidência persegue.

O presidente do Instituto Politécnico de Coimbra quer que os Serviços da Presidência «prescindam de burocracias desnecessárias, sejam mais eficazes e respondam na hora» e para concretizar esse projecto conta com o novo administrador, Filipe Reis, em funções desde o dia 1 mas empossado ontem. Rui Antunes considerou que professor assistente do Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra (ISCAC) tem o perfil profissional e humano mais indicado para imprimir uma nova orientação à gestão dos serviços, que se traduzirá mais na regulação e no acompanhamento das escolas do IPC do que apenas na decisão final.

«Maior delegação de competências nas escolas do que a que foi verificada nos últimos 16 anos não era um mero slogan, a intenção foi já traduzida em prática nestes últimos dois meses», declarou o presidente do IPC, que sucedeu recentemente a Torres Farinha. «Para que a administração seja mais eficaz é necessário fazer o “simplex” do IPC, retirar as burocracias, que atrasam as decisões e dificultam a gestão das escolas», acrescentou.

Filipe Reis, que admitiu ter uma maior experiência na administração de instituições privadas, considerou que o seu percurso profissional pode até ser uma mais-valia, numa altura em que «cada vez mais há uma aproximação entre o que é a gestão pública e privada». Partilhando da visão de Rui Antunes, o administrador que sucede a Artur Furtado disse estar disponível para levar a cabo o projecto de reorientar a gestão nos próximos três anos.

A cerimónia de ontem, na sede do IPC, serviu ainda para atribuir as Bolsas por Mérito – criadas pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior para distinguir os melhores alunos e estimular o empenho dos estudantes – a 21 alunos inscritos nas várias escolas do IPC: três alunos da Escola Agrária, cinco da Escola Superior de Educação, dois da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital, dois da Escola de Tecnologia da Saúde, dois do Instituto de Contabilidade e Administração e sete do Instituto Superior de Engenharia.

Primeiros no empreendorismo

O primeiro lugar do concurso nacional PoliEmpreende 2009 foi atribuído a uma equipa do Instituto Superior de Engenharia de Coimbra, como já havia, aliás, acontecido na edição anterior. Na cerimónia de ontem, o IPC atribuiu os prémios regionais a esta e a outras duas equipas de alunos. O grupo do ISEC, composto por Carlos Alcobia, Luís Ferreira e Pedro Mendes, apresentou um projecto na área da instrumentação virtual (medição de grandezas físicas, testes e controlo de sistemas), que visa um aumento da produtividade através de sistemas mais céleres, mais fiáveis e mais económicos. Este primeiro prémio teve o patrocínio do IPC, no valor de mil euros.

O segundo prémio foi ganho pela Escola Superior Agrária de Coimbra (Gonçalo Dias, Celestino Oliveira, Márcia Rodrigues e Sandrina Mesquita), denomina-se “Fructadose” e consiste na comercialização de fruta fresca preparada para crianças do ensino pré-primário e primário, a distribuir pelos municípios. O patrocínio de 750 euros é da Caixa de Crédito Agrícola.

O terceiro prémio foi para a Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital (alunos Joana Santos, Helena Barroso, Bruna Duarte, e Lília Inácio), que apresentou o projecto “Miss Bag“, uma mala de senhora de design atractivo mas com a funcionalidade de conter um reservatório térmico para transportar pequenos alimentos (água, iogurte, fruta). Recebeu um patrocínio de 500 euros da Associação Coimbra Região Digital e IPN Incubadora, valor que, tal como nos outros prémios, será entregue por duas tranches, sendo a segunda aquando a concretização da ideia.

Rui Antunes reforçou ontem a importância do empreendedorismo para o sucesso profissional dos alunos – em especial no ensino superior politécnico – e para o desenvolvimento socioeconómico. O responsável adiantou que, em breve, o IPC conhecerá novas iniciativas nesta área.


Fonte: Diário de Coimbra.
Edição: 15 de Outubro de 2009
 
Inserido em 19-10-2009
Temas relacionados <Geral>  <Incentivos>  <Incubadora>  <Notas de Imprensa